Este website usa cookies. Ao utilizar este website, está a consentir que utilizemos os cookies.
Telefone: +351 213 910 884 Email: geral@cnecv.pt
Nota de Pesar pelo Falecimento do Monsenhor Vitor Feytor Pinto (1932-2021)

Nota de Pesar pelo Falecimento do Monsenhor Vitor Feytor Pinto (1932-2021)

Faleceu hoje, dia 6 de Outubro, o Monsenhor Vitor Feytor Pinto, membro muito ilustre do 12 e do 22 Mandatos do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV) entre 1991-1996 e 1996-2003, a quem o Conselho presta publicamente homenagem pela elevada estatura intelectual e invulgar sensibilidade humana que, com humildade, colocou também ao serviço do CNECV. 

Responsável pela paróquia de Campo Grande, no Patriarcado de Lisboa, Monsenhor Vitor Feytor Pinto desenvolveu, desde muito cedo, reflexão e acção no domínio específico da saúde: coordenou, durante vários anos, a Pastoral da Saúde em Portugal, foi Assistente Nacional e Diocesano da Associação Católica de Enfermeiros e Profissionais de Saúde (ACEPS), foi  Assistente Diocesano dos Médicos Católicos e Assistente Diocesano da Associação Mundial da Federação dos Médicos Católicos (AMCP), para além de ter sido fundador do Movimento de Defesa da Vida, em Lisboa. No seu mandato como Conselheiro do CNECV, teve uma contribuição sempre pronta e generosa, em todos os trabalhos e pareceres. A hospitalidade, a abertura ao mundo e a mudança, o olhar de acolhimento e sabedoria, ofereceram sempre uma reflexão bioética através da doença, do sofrimento e da saúde, uma reflexão sobre as pessoas, sob o signo da inclusão, e como "a vida a sempre um valor". A sua dimensão humana e intelectual, a capacidade de diálogo na construção de caminhos partilhados em prol de uma "vida boa", permanecem vivas em todos que tiveram o privilégio de com ele se cruzar e perduram numa dimensão intemporal como inspiração das novas gerações. 

O CNECV presta a sua sentida homenagem e manifesta o reconhecimento e gratidão pelo contributo do Monsenhor Vitor Feytor Pinto para a reflexão Bioética em Portugal. 


Voltar acima